Postado Por : Caio Nascimento 9.8.14

Mais uma temporada do futebol europeu está prestes à começar. Neste final de semana, algumas supercopas servirão de prato de entrada para os fãs dos clubes europeus esquentarem os motores para uma nova e emocionante temporada. Novos jogadores, contratações milionárias e grandes promessas desfilarão o seu talento pelos gramados europeus.

A temporada de 2014/2015 promete apresentar uma grande variedade de ótimos valores para o futuro do futebol europeu. São tantos jovens jogadores com potencial, que elaborar uma lista inicial com 25 nomes foi dificílimo.

Quer ficar por dentro dos principais nomes que deverão chamar muita atenção nessa temporada? Dá uma olhada!


Adnan Januzaj (Manchester United)











Formado na academia de jovens do Anderlecht, o belga Adnan Januzaj assinou contrato com o Manchester United, em 2011, quando tinha apenas 16 anos de idade. Canhoto e muito técnico, Januzaj atua como winger (um meia que atua pelas pontas do campo), posição propícia para um jogador que destaca pelos dribles rápidos e muito equilíbrio durante a corrida. Apesar de ter apenas 19 anos, a jovem estrela do United fora convocado por Marc Wilmots para a Copa do Mundo deste ano, onde atuou como titular na partida contra a Coréia do Sul na vitória dos Diabos Vermelhos por 1x0. No começo desse ano houve uma indecisão por parte de Januzaj com relação à sua nacionalidade, sendo que ele nasceu em Bruxelas, na Bélgica, mas com descendência kosovar (seus tios lutaram pela independência do país). Levando em consideração o seu estilo de jogo, Januzaj deve receber mais oportunidades agora com Louis Van Gaal do que recebera com David Moyes na temporada passada.


Max Meyer (Schalke 04)












Faz muito tempo que o Schalke 04 não conquista um campeonato alemão. Isso faz tanto tempo que Max Meyer, que é apontado como uma das maiores revelações dos últimos tempos no clube azul real, sequer era cogitado para nascer. Tudo bem que o jovem meia-atacante só tem 19 anos de idade, mas a seca do Schalke já dura mais de CINQUENTA ANOS. As coisas tendem a ficar mais difíceis com o domínio amplo do Bayern de Munique na Bundesliga, mas a esperança dos torcedores do Schalke serão depositadas nas chuteiras desse pequeno diamante que é lapidado desde o Sub-17 do clube de Gelsenkirchen. Com apenas 1,69m de altura, Max Meyer possui uma habilidade inversamente proporcional à sua altura. O pequeno meia, que usa a camisa nº 7 que já foi de Raul, possui todas as características de um meia dos tempos antigos. Meyer domina de forma elegante qualquer bola que lhe é passada, além de driblar com uma facilidade assombrosa. Seus chutes são igualmente precisos e perigosos. O jovem jogador terá a companhia de outras grandes promessas azulinas, casos de Julian Draxler, Leon Goretzka, Pascal Itter e Donis Avdijaj.


Jonas Hofmann (Borussia Dortmund)











Se o Schalke 04 tem um playmaker do nível do Max Meyer é óbvio que o maior rival não iria ficar para trás, certo? O Borussia Dortmund também tem o seu meia-atacante habilidoso que promete dar muitas alegrias à Muralha Amarela. A diferença entre os dois reside na idade, Hofmann tem 22 anos de idade e é três anos mais velho que o jovem craque do Schalke. O meia chegou ao Dortmund na temporada de 2011/12 oriundo das categorias de base do Hoffenheim após chamar à atenção dos olheiros do clube amarelo. Hofmann chegou ao Borussia Dortmund numa época difícil para qualquer jovem em sua posição, pois nesse período o clube contava com o "menino maravilha" Mario Götze. No entanto, Jurgen Klopp sempre mantinha Hofmann por perto para talhar o jogador para uma provável saída de uma das maiores revelações do clube, que acabou se consumando na temporada de 2013/14. Hofmann é conhecido por seus ótimos tiros de média distância e seus passes milimétricos, características um pouco diferentes de Mario Götze. Ah, ainda sobre a rivalidade entre Borussia e Schalke, Jonas Hofmann também usa a camisa nº 7.


Marc Stendera (Eintracht Frankfurt)












Pô, outro alemão? Pois é, se você ainda está com a cabeça inchada após aquela sapatada alemã contra o Brasil na Copa do Mundo, vá se acostumando com uma nova fornada de craques alemães. Stendera é o meio-campista que todo treinador adoraria ter em sua equipe, pois o jovem é capaz de jogar em qualquer função que você escolher. Atualmente, o meia é a principal estrela do tradicional Eintracht Frankfurt e o camisa 10 da seleção alemã que foi campeã da Eurocopa Sub-19. Stendera é extremamente técnico e muito preciso na distribuição de jogo, com características SEMELHANTES às de Schweinsteiger. Quase todos os grandes clubes europeus já estão com os radares ligados sob o meia de 18 anos do Frankfurt.


Pierre-Emile Hojbjerg (Bayern de Munique)












Mais uma promessa vinda da Bundesliga, porém, desta vez não é um jogador alemão. Hojbjerg apareceu pela primeira vez na Eurocopa Sub-17, jogando pela Dinarmarca. Na oportunidade, o jovem meia dinamarquês liderou sua seleção para uma gloriosa terceira colocação, perdendo para a Alemanha na semi-final por 2x0. Naquela época Hojbjerg atuava pelo Brondby, clube tradicional em sua terra natal, quando fora contratado pelo Bayern de Munique. O excelente jogador é considerado por muitos especialistas sobre o Bayern como o novo Schweinsteiger. Sua visão de jogo de "veterano" é o que mais chama a atenção para esse jogador de apenas 19 anos. O dinamarquês também bate na bola com uma classe muito rara de se encontrar por aí. Guardiola, que não é nada bobo, já fez questão de integrar o menino à equipe titular para essa temporada, chegando, inclusive, à atuar como titular na posição de Schweinsteiger enquanto o próprio estava desfrutando de suas merecidas férias após conquistar a Copa do Mundo com a Alemanha.


Anthony Martial (Mônaco)












Rápido, letal e marrento. Essas são as principais qualidades dessa grande promessa do futebol francês que atua pelo novo rico do futebol mundial, o Mônaco. Martial tem apenas 18 anos, mas  ele vem chamando a atenção de grandes clubes europeus desde suas aparições pelo Lyon em competições de base. O possante atacante francês, apesar de muito novo, deverá atuar como TITULAR no ataque monegasco durante essa temporada, especialmente se o Falcão García se transferir para outro gigante europeu. Martial é figurinha carimbada em todas as convocações para a seleção francesa em competições de base e, como esperado, ele se destaca constantemente. Com faro de artilheiro, Martial é tratado como uma joia pelos franceses, que confiam muito em seu potencial estrelar para comandar o ataque com Benzema e Griezmann no futuro.


Rafinha (Barcelona)













Finalmente um brasileiro nessa lista! Filho de Mazinho, aquele que jogou no Palmeiras e pela seleção brasileira, e irmão do Thiago Alcântara, meia do Bayern de Munique, Rafinha terá sua primeira oportunidade para começar uma temporada pelo Barcelona. Ao contrário de seu irmão, Rafinha já declarou que sua opção de cidadania é a brasileira (inclusive já foi convocado por Alexandre Gallo para o Sulamericano Sub-20 de 2013). Luis Enrique, atual treinador do Barça, admira o futebol do brasileiro, revelado por ele nas canteiras do clube catalão, a renomada La Masia. Rafinha atua numa posição que é difícil de se encontrar aqui no Brasil, a de armador recuado. Muitas vezes posicionado como volante, o brasileiro tem muita destreza para desempenhar essa função de armador numa região muito conflitosa do campo, bem próximo ao campo de defesa. Com muita personalidade e um passe muito preciso, Rafinha tem tudo para se firmar no Barça e na seleção brasileira.


Juan Quintero (Porto)















Meia clássico, de muita habilidade e personalidade. O colombiano que foi revelado pela mesma equipe de James Rodriguez, o Envigado, e está no Porto para sua primeira temporada como titular do clube. Quintero é canhoto e tem uma qualidade impressionante para bater na bola, além de muita técnica e visão de jogo (em certos momentos lembra o ex-corinthiano Marcelinho Carioca). Com apenas 21 anos, a jovem promessa é vista como peça essencial para o upgrade técnico em sua seleção nacional, ao lado de James Rodriguez, Juan Cuadrado e Falcão García. Ah, o menino esteve nesta Copa do Mundo com a seleção cafetera, onde atuou como titular em duas partidas, Costa do Marfim (marcou seu único gol na competição) e Japão, e veio do banco para enfrentar o Brasil, nas quartas-de-final.


Ross Barkley (Everton)













Apesar de ter sido eliminada precocemente na Copa do Mundo deste ano, a Inglaterra tem o que comemorar bastante para os próximos anos, porque uma ótima, e jovem, fornada de jogadores está no ponto para ser usada. O principal nome dessa fornada é Ross Barkley, meia central do Everton. Visão de jogo, passe apurado, lançamentos longos, tiros de longa e média distância e chegada no ataque são os seus principais predicados para se tornar uma lenda no Everton, clube azul da cidade de Liverpool. Aliás, falando em Liverpool, Barkley é comparado o grande ícone do clube vermelho da cidade, o Gerrard. Cobiçado por quase todo mundo nesta janela de verão europeu, Barkley renovou com o seu clube do coração por mais 4 temporadas. O inglês atuou nas três partidas pela seleção dos Three Lions, sendo duas como reserva utilizado (Itália e Uruguai) e uma como titular (Costa Rica).


James Ward-Prowse (Southampton)











A barca do Southampton, grata surpresa da temporada passada, está praticamente vazia. Nesta temporada já saíram dos Saints o lateral-esquerdo Luke Shaw, o zagueiro Dejan Lovren, o meia Adam Lallana e o atacante Rickie Lambert. No entanto, o jogador mais seguro e promissor do elenco do Southampton ainda resiste na terra arrasada do sul da Inglaterra, Ward-Prowse está no Saints desde os 15 anos de idade e é convocado para as seleções de base da Inglaterra desde então. Franzino e baixinho, o espetacular meia central do Southampton se destaca pelo excelente passe e pela incrível visão de jogo, peculiar para alguém de sua idade. Com apenas 19 anos, Ward-Prowse já é comparado ao mito Paul Scholes, que também era bastante franzino, porém, extremamente técnico. Ao lado de Morgan Schneiderlain, Ward-Prowse dita o ritmo de jogo para sua equipe e, agora que está numa equipe totalmente desfigurada, deve aparecer ainda mais no cenário europeu.


Luke Shaw (Manchester United)














Revelado pelo Southampton, onde se destacou tanto em sua primeira temporada como titular da lateral-esquerda do clube inglês, vai atuar pelo Manchester United nesta temporada. Convocado por Roy Hodgson para a Copa do Mundo deste ano, Shaw é considerado a maior revelação inglesa nas últimas 5 temporadas. Com 1,86m de altura, o lateral-esquerdo impressiona pela mobilidade e habilidade, algo impossível para muitos outros jogadores com o mesmo porte físico de Shaw. Além da força, Shaw também chega muito bem ao ataque e costuma deixar os seus gols.


Hachim Mastour (Milan)













De um tempo para cá, um dos maiores clubes europeus estava se deteriorando gradualmente até chegar o ponto em que está hoje. O Milan, um gigante do futebol, ficará fora de qualquer competição européia nesta temporada. Se a humilhação de ficar de fora de uma Champions League, por exemplo, já era grande, não ter dinheiro para contratar as estrelas pelas quais os torcedores estavam acostumados é maior ainda. No entanto, existe uma luz no final do túnel para os Rossoneros, uma luz que brilha há muito tempo nas categorias de base e que promete salvar o Milan dessa era de trevas. Mastour é filho de marroquinos, porém, o garoto é nascido na Itália e é declarado italiano. Conhecido como "Il 98 (O 98)", ou Messi Marroquino, Mastour é destro e muitíssimo habilidoso. Devido a falta de recursos e "material humano", o jovem de 16 anos de idade deve atuar como titular na maior parte do tempo pelo Milan. Hachim Mastour é rápido, driblador, inteligente e matador, características que promovem o menino como uma das maiores apostas do futebol europeu desde... Messi!


Marcos Lopes (Lille/Manchester City)













Quantas histórias de jogadores brasileiros que saíram do país muito cedo e acabaram se tornando em grandes promessas em clubes europeus você já ouviu? Pois é, essa será mais uma dessas. Nascido em Belém, no Pará, Marcos Lopes mudou-se com a família para Portugal com apenas 4 anos de idade. Desde então, a carreira de Marcos desenvolveu-se toda na Europa. Revelado pelo minúsculo Polares, no time de futsal, não demorou muito para o Benfica notar os seus talentos. Após cinco temporadas com os Encarnados, o Manchester City se encantou com o garoto e resolveu contratá-lo. Marcos Lopes é tratado como a maior revelação da história dos Citezens, que o emprestou para o Lille para ganhar experiência numa liga competitiva antes de voltar para a Premier League. Lopes é muito técnico, dribla com muita facilidade e chuta muito bem de média distância.


William Carvalho (Sporting)













Um angolano naturalizado português que joga como volante e que já foi emprestado para o Fátima e Cercle Brugge por duas temporadas e já vale mais de 45 milhões de euros. Essa é a trajetória de William Carvalho, um dínamo no meio-campo sportinguista que já é cortejado por gigantes europeus. Devido ao seu alto valor, o Sporting deve manter a joia por mais uma temporada. Com apenas 22 anos, William Carvalho notabiliza-se pela maturidade e força, tanto na marcação quanto no ataque, além da liderança que imprime nos outros jogadores. Carvalho foi convocado para a Copa do Mundo, onde atuou em duas partidas, sendo uma como titular (Gana) e uma como reserva utilizado (Estados Unidos).


Zakaria Bakkali (PSV)













Imagina como seria mais forte a seleção marroquina se Marouane Fellaini, Ibrahim Afellay, Oussama Assaidi, Khalid Boulahrouz, Nacer Chadli, Hachim Mastour e... Zakaria Bakkali tivessem optado pelo país árabe? Assim como Mastour, que optou pela cidadania italiana, Bakkali também é tratado como uma das maiores revelações do futebol europeu e que também optou pela cidadania européia, no caso a belga. Revelado no Standard Liege, Bakkali é extremamente habilidoso e um exímio driblador. O belga fora contratado pelo PSV quando tinha apenas 15 anos de idade e estreou na equipe principal com apenas 16 anos. Pela seleção belga, Bakkali teve que esperar completar os 16 anos para poder ser convocado. Guardado à sete chaves pelo clube holandês, Bakkali, mesmo com 18 anos, já faz muita diferença em prol do PSV, que possui uma equipe muito jovem. O Atlético de Madrid já tentou arrancar Bakkali do PSV, mas os holandeses se mantém irredutíveis sobre o garoto.


Stefano Denswil (Ajax)














Holanda, o país do futebol total, do 4-3-3, da técnica, dos times ofensivos e dos zagueiros que sabem jogar bola. Stefano Denswil, zagueiro canhoto de 1.86m, se destaca nesse cenário por ser rápido, forte na marcação e preciso nos desarmes. Frank de Boer, um dos maiores zagueiros da história e treinador do Ajax, lapidou esse diamante durante anos com o intuito de transformá-lo num pilar do clube judeu. Denswil é famoso por ser implacável na marcação de jogadores mais altos que ele.


Youri Tielemans (Anderlecht)












O novo Yaya Toure também fala francês, mas atua pela seleção belga. Mais um belga? Sim, mais um belga. Quantas vezes você leu sobre o Anderlecht aqui? Uma boa quantidade, te garanto. Porém, não é por menos, o maior clube da Bélgica é um exímio formador de jogadores e Youri Tielemans é mais uma dessas promessas. O volante se enquadra perfeitamente no que os britânicos chamam de box-to-box (área-à-área) por sua grande habilidade com a pelota e sua disciplina tática. Tielemans tem apenas 17 anos de idade, mas o jogador já vai para a sua segunda temporada como titular do Anderlecht. A comparação pode ser um pouco pesada, mas Tielemans já provou com sua habilidade e maturidade, tanto no Anderlecht quanto na seleção sub-19 da Bélgica, que o seu futuro é muito promissor.


Adrien Rabiot (PSG)













Formado nas categorias de base do clube que menos utiliza suas promessas, Adrien Rabiot é tratado como joia pela seleção francesa, onde ele possui mais moral do que no próprio clube que o revelou. Volante de origem, Rabiot pode desempenhar várias funções nessa posição, desde regista até como armador recuado. O francês é muito técnico e gosta de realizar lançamentos longos para os atacantes. Além disso, Rabiot chega com muita qualidade ao ataque, tanto com a bola nos pés quanto numa jogada aérea, já que o meia canhoto tem 1,88m de altura. Caso o PSG não dê mais valor à essa grande revelação, que já despertou grande interesse no Arsenal, a tendência é perdê-lo.


Timo Werner (Stuttgart)













A fábrica de craques alemães não pára. Timo Werner, atacante do Stuttgart, é uma das maiores promessas para o ataque alemão. Habituado a jogar pela ponta esquerda, Werner também atua como centroavante e segundo atacante e, se precisarem, ele também atua como meia-atacante. Polivalente no setor ofensivo, Werner se destaca pela movimentação e poder de finalização, sendo praticamente letal quando está perto da pequena área. Suas características são semelhantes as de Thomas Müller, outro jogador muito famoso por ser polivalente no ataque. Com 1,80m de altura, Werner também é ótimo no cabeceio e na famosa "briga pelo espaço". Assim como Max Meyer, Leon Goretzka e Marian Sarr, Timo Werner foi "poupado" do título alemão na Eurocopa Sub-19 para o Stuttgart utilizá-lo na pré-temporada visando a Bundesliga.


José Gayá (Valencia)













O Valencia já esteve próximo da falência várias vezes neste século, porém, graças à um artifício que o clube utiliza muito bem, o caminho para a destruição foi desviado várias vezes. Não é de hoje que Valencia revela grandes nomes para o mercado europeu, nomes como Juan Mata, Jordi Alba, Juan Bernat, Paco Alcácer, Isco e Pablo Hernández são alguns desses nomes que salvaram as economias do clube catalão. No entanto, o Valencia não pára de revelar ótimos jogadores e o próximo que fará o clube lucrar no futuro é José Luis Gayá, um excelente lateral-esquerdo/meia-esquerda, de muita potência ofensiva. Gayá também é muito rápido e inteligente nas tomadas de decisões, especialmente com relação aos cruzamentos, sua principal arma. Como Bernat foi recentemente negociado com o Bayern de Munique, Gayá terá toda oportunidade do mundo para brilhar (e salvar o Valencia da falência).


Hakan Çalhanoglu (Bayer Leverkusen)













O grande nome da nova geração turca que resistiu à pressão de se tornar alemão chama-se Hakan Çalhanoglu. Apesar de ter toda sua base na Alemanha, onde jogou por Karlsruher, Hamburgo e agora Bayer Leverkusen, o meia-ofensivo turco optou por defender a pátria de seus pais, já que ele mesmo nasceu em solo germânico (na mesma cidade que Mario Götze). Çalhanoglu é um jogador muito habilidoso, cuja principal característica é o chute de média e longa distância. O passe também é uma das qualidades de perigosíssimo jogador, que também costuma fazer muitos gols apesar de ser um meio-campista. Defendendo a seleção turca, Çalhanoglu foi o principal nome do país no Mundial Sub-20 de 2013. Não muito tempo depois, o meia já era TITULAR absoluto da seleção com apenas 21 anos de idade.


Eric Dier (Tottenham)












Eric Dier é um ponto fora da curva na realidade inglesa. Notabilizados por encontrar jogadores de todo canto do mundo, ainda jovens, os clubes ingleses costumam "roubá-los" para suas academias e, à partir de sua filosofia, formá-los para o futuro. Dier fora descoberto pelo SPORTING de Portugal quando tinha apenas DEZ ANOS de idade!!! Contratado pelo clube português, o lateral-direito/zagueiro/volante passou sete anos na base até ser emprestado por duas temporadas ao Everton, onde teve poucas oportunidades. Após as duas temporadas no clube inglês, Dier voltou ao Sporting onde ficou mais dois anos alternando entre a base e a equipe titular até que na temporada passada conquistou a confiança do treinador Leonardo Jardim. Polivalente, o defensor inglês é ótimo no desarme e muito consistente na marcação. Devido à sua boa técnica, o que não é comum entre defensores, Dier é costumeiramente escalado como lateral e volante. Após ótima temporada pelo Sporting e pela seleção inglesa nas categorias de base, Eric Dier foi contratado pelo Tottenham nesta temporada. Se for capaz de manter a toada, o jogador inglês tem tudo para se manter em sua terra natal e conquistar uma vaga na renovação da seleção inglesa.


Florian Thauvin (Olympique de Marseille)












Com apenas 21 anos de idade, Thauvin já vive a expectativa de ser o salvador da terra do tradicional Marseille. Rápido e driblador, o meia é canhoto e também possui uma facilidade espantosa para bater na bola. O único aspecto que pesa contra o francês é o seu porte físico, constantemente cornetado pelos franceses. No entanto, sua habilidade é tão grande que, até num país que gosta de jogadores "bombados", o porte físico franzino de Thauvin já está sendo aceito como um fator preponderante para seu desempenho. Arisco, o meia que joga pelos dois lados do campo já é cogitado para a nova seleção francesa. Nas categorias de base, Thauvin é o camisa 10 e "dono" da equipe. No Marseille, apesar de muito cuidado por parte da comissão técnica, Thauvin já se escala por si só. Olho no garoto!


Sergi Darder (Málaga)













Com esse sobrenome catalão você logo imaginou Sergi Darder com as cores grenás do Barça, certo? Como a vida é irônica, Darder apareceu no futebol jogando pelo Espanyol nas categorias de base, em 2009. Raçudo, com boa técnica, bom passe e com um índice de trabalho muito grande, Darder é o capitão da seleção espanhola sub-20 e, mesmo com pouco tempo de casa, já é titular e o primeiro volante do Málaga. Formado para ser o novo capitão da Fúria, Darder lembra muito o jeito de jogar do Sérgio Busquets, volante de "ofício" do Barcelona. Porém, existem duas pequenas diferenças entre os dois: Darder é mais veloz e ágil que o ótimo volante do Barcelona. Com espírito de liderança, o volante vai ganhando espaço e moral num clube que está abrindo espaços para jovens estrelas como ele.


Leon Goretzka (Schalke 04)















O último e não menos importante dessa primeira lista, Leon Goretzka, meia do Schalke 04, foi o escolhido para fechar com chave de ouro esse pequeno selecionado de jovens jogadores. Apontado como craque desde a época que ainda gostava de mamadeira, Goretzka é, ao lado de Max Meyer, apontado como o grande pilar da nova geração alemã que vem aí. Altamente técnico, inteligente, com visão de jogo apurada e um passe milimétrico, Leon Goretzka parece ter sido criado num laboratório científico, pois não existe nada nesse mundo que o jovem não saiba fazer muito bem. Aliás, Goretzka é o capitão da seleção sub-20 alemã, e também esteve na pré-lista de Joachim Löw para a Copa deste ano mesmo tendo atuado apenas na segunda parte da temporada pelo Schalke. O potencial desse menino é tão grande quanto o seu próprio tamanho, ele tem 1,89m. Tirado do Bochum na temporada retrasada, Goretzka fora dispensado da Euro Sub-19 deste ano porque o Schalke quer montar uma equipe jovem e insinuante, especialmente por causa desse ótimo volante.

{ 9 comentáriosComentário }

  1. Respostas
    1. Vai ter sim, meu amigo. Quando acabar a temporada atual teremos a segunda parte, que já está pronta. Abraço!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Como dito no texto, com exceções do Shaw, Januzaj, Quintero e Carvalho, jogadores que já eram protagonistas em suas equipes e que atuaram em mais de 2 jogos na Copa não entrariam na lista.

      Excluir
  3. Pogba e Sterling nao sao mais promessas, sao realidades

    ResponderExcluir
  4. Ibe do Liverpool dybala q foi para juventude promessa boas

    ResponderExcluir

Postagens populares

Total de visualizações

Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Ads 468x60px

- Copyright © Trama Futebol Clube -- Traduzido Por: Template Para Blogspot