Postado Por : Caio Nascimento 5.2.13

Encerrou-se na madrugada desta segunda-feira o Super Bowl XLVII e, após inúmeras barreiras e contusões, o Baltimore Ravens sagrou-se campeão conquistando o seu segundo troféu Vincent Lombardi após derrotar o San Francisco 49rs por 34x31.
O Baltimore Ravens recebeu esse nome para homenagear um dos maiores contos de terror/suspense da história da literatura mundial: O Corvo (The Raven), de Edgar Allan Poe. O escritor americano passou os seus últimos dias de vida na cidade de Baltimore. Justo posto, pode-se traçar uma linha tênue entre a caminhada do Ravens até a conquista do SB com um conto de terror/suspense.
Os Ravens começaram bem a temporada, liderando sua conferência com tranquilidade. Porém, após contusões de Ed Reed e Ray Lewis, além da inconstância de Joe Flacco, o time acabou perdendo a hegemonia para o Denver Broncos. Com isso, o time de Baltimore teve que jogar a repescagem (Wild Card) contra o Indianapolis Colts.
O time de Baltimore, não só passou pelo Wild Card como derrotou o Denver Broncos naquela partida alucinante no Mile High. Depois veio a prova de fogo: New England Patriots em Foxborough. Com muito mais brio, os Corvos venceram e conquistaram a AFC.
Acompanhando os fatos, os compostos e todo cenário, pode até parecer que Edgar Allan Poe escreveu a história do time de Baltimore nessa temporada. Os Ravens são itinerantes, sendo que foram fundados em 1996 depois de "fugirem" de Cleveland. Um ano antes, o Baltimore Colts migrou para Indianapolis.
História conturbada, o que faz desta franquia algo indesejado por muitos outros fãs da NFL. Em 1996, Ray Lewis fora draftado pelo recém-nascido Baltimore Ravens. O tamanho de sua habilidade como linebacker pode ser comparada a sua arrogância. É o típico jogador que não poderia jogar em outro clube graças às suas declarações ásperas. Lewis, no caso, anunciou antes do Wild Card que essa seria sua última temporada como jogador profissional.
Um componente que fora comentado desde a definição dos classificados para o Super Bowl, o confronto entre os irmãos Jim e John Harbaugh, respectivamente head couches de San Francisco e Baltimore.
Voltando ao Super Bowl, os Ravens dominaram a partida durante todo o primeiro tempo. Joe Flacco, que mais tarde recebera o prêmio de MVP da final, acertou tudo. Partida brilhante do inconstante quarterback de Baltimore. Depois do show da Beyoncé no intervalo, esperava-se que o time dos Niners, especialmente Colin Kaepernick, retomassem o placar de 14x6. Que nada! No retorno do kickoff, Jacoby Jones correu 108 jardas para anotar o touchdown mais longo da história do Super Bowl.
A vida dos Ravens estava fácil demais. Porém, como disse antes, o espírito literário de Poe estava no Mercedes-Benz Superdome. Na metade do terceiro quarto o estádio ficou num breu total! A cena lembra a tempestade que acorçoou a família no conto do Corvo de Poe.
A partida ficou paralisada por 34 minutos. Nesse meio tempo, vários pachecos brasileiros tiveram orgasmos com a deficiência no espetáculo americano. "Depois fala mal do Brasil", "Quando é no Brasil todo mundo fala mal", foram algumas das besteiras que fui obrigado a ler no Twitter.
O apagão assustou as aves de Baltimore, e com isso o time de San Francisco engatou uma sequência quase perfeita para igualar o placar. Foram 23 pontos maravilhosos conquistados nesse período.
Entretanto, para o enredo ficar digno de uma história de causar arrepios, os Niners tinham a chance de passar a frente do placar enquanto os números marcavam 34x29 para os Ravens. Era a 4th to goal quando Kaepernick, que se recuperara da pipocada pré-apagão, lançou para Michael Crabtree. O camisa 15 estava mano-a-mano contra o defensor do Ravens, que notou que não venceria o wide receiver na corrida e logo o agarrou pela camisa. Foi um holding claro, e para piorar a situação, na cara do juiz de linha.
A fúria do San Francisco era sentida, especialmente por meio de Jim Harbaugh que vociferou contra os juízes, pois a chance de vitória tinha sido apagada da história desse conto. No lance seguinte, os Ravens apenas de conseguir um first down para garantir a vitória. Não deu certo. Porém, restavam apenas 7 segundos no cronometro, algo completamente impossível de se converter. No entanto, John Harbaugh lembrou-se da infância e fez uma pegadinha com o seu irmão.
Koch, punter dos Ravens, segurou a bola dentro da end zone até sofrer um safety, dando dois pontos de graça aos Niners. Essa jogada incrível dos Ravens foi um golpe de misericórdia no estômago dos jogadores de San Francisco. Um ponto de bonificação que tiveram de fazer e, com isso, perder tempo. Genial e horripilante.
Com isso o time de Baltimore invadiu o gramado para comemorar o seu segundo título de Super Bowl. Entretanto, o que marcou foram as coincidências no trajeto dos Ravens até a conquista do troféu. Lesões, desconfiança, insegurança, vitórias inesperadas, Super Bowl, irmãos se enfrentando, apagão, erro fatal e Ray Lewis levantando Vicent Lombardi (o troféu) em sua despedida dos gramados. Que belo enredo de suspense, Edgar Allan Poe!
 

Deixe um Comentario

Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

Postagens populares

Total de visualizações

Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Ads 468x60px

- Copyright © Trama Futebol Clube -- Traduzido Por: Template Para Blogspot